Culto de Louvor e Adoração – Apóstolo Maurício Santa Fé

E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passou pelo meio de Samaria e da Galiléia; E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe; E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos. E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz; E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano. E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove?
Não houve quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.  Lucas 17:11-19

A história de Jesus relatada nesse texto é um exemplo de como pessoas que um dia recebem uma nova chance se esquecem de agradecer a Fonte de todo bem.

Ao entrar em um povoado a bíblia diz que dez leprosos dirigiram-se a Jesus e ficaram a uma certa distancia e gritaram em alta voz: Jesus mestre, tende piedade de nós. Eles tinham algo que os igualava, esses dez homens tinham uma condição de desespero, porque a lepra naquela época de Jesus era a doença mais temida, pode-se comparar hoje a AIDS, apesar de que era muito pior porque podemos estar diante de um aidético e mesmo assim não perceber isso, mas a lepra deixava a pessoa denunciada, as lepras se manifestam como manchas na pele, e essas vão crescendo e se tornando tumores, esses vão aumentando a ponto da pessoa ficar desfigurada e ficar até mesmo irreconhecível, esses tumores estouram e se tornam feridos e as pessoas ficam todas desfiguradas, os dedos das mãos e dos pés de um leproso num estado terminal eles caem, a ferida toma conta.

Depois de ter os dedos caídos o nariz solta, a orelha cai, e logo depois a pessoa começa a entrar em coma  e em seguida morre, Mas a lepra é uma maneira muito dolorosa de se morrer, nos dias de Jesus o primeiro sinal de lepra ali já era decretado a sentença de morte daquela pessoa, uma vez que a lepra era identificada em alguém seja ela criança, adulto ou idosa, por força de lei daquela época ele era obrigado a sair da cidade e viver fora da cidade. O leproso era obrigado a deixar a família, os amigos o leproso era expulso do convívio da sociedade o qual ele estava inserido, ele vivia debaixo de uma lei muito rígida, a lei daquela época dizia que um leproso não podia ficar a menos de 500 metros de uma pessoa sadia, se ele fizesse isso ele era condenado a morte por apedrejamento, era lei em Israel.

Reflita: Imagine uma criança a qual apareceu uma mancha na pele, seu pai era obrigado a levá-lo para fora da cidade e deixá-lo lá, os outros leprosos cuidariam dele. Essa criança nunca mais seria abraçada pelo pai ou pela mãe, pois era assim que aqueles dez homens estavam vivendo quando se encontraram com Jesus, eram discriminados, afastados da sociedade em função de uma doença, alguns daqueles dez homens já estavam ali com lepra desde criança, já cresceram com a lepra impregnada no seu corpo, a lepra levava muito tempo para progredir, não era uma doença que matava rapidamente,  ela durava anos para se desenvolver, muitos daqueles homens já estavam ali naquela situação desde criança, muitos já tinham perdido as suas esperanças, muitos só estavam esperando a morte chegar.

A alma de um leproso era muito mais enferma que o seu corpo, a sua alma devido a solidão que ele era obrigado a vivenciar gerava muito mais feridas na sua alma do que as feridas que ele tinha no seu corpo em função da lepra, Jesus sabia que a cura daqueles homens devia se processar primeiro na alma para depois ser processada no físico, algo mais comum na vida de um leproso era se preparar com pessoas que queriam estar mais longe delas do que perto para ajudá-las, muitos quando viam um leproso se aproximar começavam a gritar em alta voz: “leproso! Leproso!” E atiravam-no pedras. E a alma daqueles homens mais precisava não era de pessoas que gritassem: “leprosos! Leprosos!” ou pessoas que atirassem pedras em direção a eles, o que aquele homem precisava era de alguém que os amasse, alguém que tivesse misericórdia da vida deles, o que mais queriam era não ser mais conhecido como leproso mais como alguém limpo.

Muitos não querem ser conhecidos como drogados, prostitutas, viciados, bêbados, adúlteros, mentirosos, muitos hoje não querem mais ser conhecidos por títulos, mas algo maravilhoso aconteceu naquele dia.

Aqueles dez homens se encontraram com o Carpinteiro de Nazaré, se encontraram com Jesus, com Jeová-rafa o Deus que cura, aqueles homens se encontraram com Alguém que tinha a solução para o problema deles.

Era muito raro, naquela época, alguém ser curado de lepra, mas com certeza já havia acontecido antes.

A parte mais significativa de toda essa história aconteceu logo depois onde Jesus diz no versículo 14: vão e apresentem-se ao sacerdote, apenas um dos dez voltou louvando a Deus em alta voz, este um prostrou-se diante de Yeshua e agradeceu, a bíblia diz que esse homem era samaritano. E os outros interrogaram: Não eram dez? Onde estão os outros nove? Aquele único homem que voltou curado, finalmente quando se prostrou diante de Jesus recebeu o que eu e você consideramos até normal, aquele homem tinha uma nova vida, uma nova saúde, uma nova expectativa de vida, uma família de novo, os amigos de novo, aquele homem tinha restituição e restauração na sua vida, mas para mim e para você pode parecer comum, aquele homem viveria apenas para ver o dia seguinte, mas percebeu que aquilo que ele recebeu, aquela cura que ele recebeu era um precioso presente de Deus, assim ele voltou para agradecer o presente, a dura realidade dessa historia é que ele foi o único. Dez receberam o presente, mas apenas um abriu o pacote para ver quem era o remetente do presente.

A gratidão transforma a nossa forma de viver, por outro lado a ingratidão faz o nosso coração encolher e esfriar, a ingratidão gera um coração cheio de insatisfação, a ingratidão gera um coração cheio de queixa de negatividade.

Reflita agora, o que você tem semeado na sua vida? Gratidão ou Ingratidão?

E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos.
E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz; Lucas 17:14-15

Vão e apresente-se ao sacerdote. E apenas um voltou, ele voltou porque quando ele viu que ele estava curado ele disse: “Eu sei quem é meu sacerdote é Jesus e eu vou voltar para agradecer” apenas um reconheceu Jesus como seu sacerdote, os outros nove foram atrás do que era comum naquela época, o outro reconheceu que Jesus era o seu sacerdote!

Reconheça que Jesus é o seu sacerdote! 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s